icon-02.png

VALORIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

 

 ALMADA 

ESTAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DO PARQUE DA PAZ

Almada tem a primeira Estação da Biodiversidade, em contexto urbano, do país. Esta Estação, faz parte da Rede nacional EBIO de Portugal, que inclui mais de 40 estações de norte a sul do país, constituídas por percursos pedestres, sinalizados através de painéis informativos, que revelam as principais riquezas da biodiversidade do local, como se de um guia de campo se tratasse.
A EBIO do Parque da Paz, o maior parque urbano do concelho, integra um percurso circular, com cerca de 2km de extensão, devidamente sinalizado e apoiado com 6 painéis de grande formato instalados em locais de especial interesse. Nestes painéis é possível conhecer algumas das espécies mais emblemáticas de animais e plantas, com destaque para as aves, répteis, anfíbios e mamíferos, bem como plantas em flor e insetos.
A criação desta estação enquadra-se no Plano de Ação Local para Biodiversidade e na Estratégia Local de Educação e Sensibilização para a Sustentabilidade, de iniciativa municipal.

REDUNA

ReDuna é o nome de um projeto municipal que tem vindo a recuperar o sistema dunar das praias de S. João da Caparica, aumentando a capacidade de retenção das areias e tornando o cordão dunar mais resistente à erosão provocada pelo vento e pelo mar. As dunas são barreiras físicas naturais fundamentais para proteger o litoral da ação dos ventos e das ondas, e limitar o recuo da linha de costa. São também zonas de elevada importância ecológica, onde habitam mais de 50 espécies diferentes de plantas e animais.
O projeto utiliza soluções de base ecológica e a instalação de paliçadas de vime, que têm a função de reter as areias transportadas pelo vento. Ao mesmo tempo, são plantadas espécies dunares adaptadas a estes ecossistemas, como o estorno, o cardo-rolador, o cravo-das-areias e a camarinha, essenciais para fixar as areias e estimular a biodiversidade local. Paralelamente foram definidos e instalados novos acessos, com estruturas próprias para esse efeito, de modo a limitar-se o pisoteio e a circulação pelas dunas. Todo o processo de restauração ecológica da duna é monitorizado regularmente, em parceria com Centros de Investigação e Universidades.

Mais informações: www.cm-almada.pt/projeto-reduna-nas-praias-de-s-joao

FILMES E LIVROS DE NATUREZA

Porque só amamos o que conhecemos, a Câmara Municipal tem investido na criação de livros e filmes sobre o valioso património natural do concelho de Almada, fruto de colaborações com fotógrafos e realizadores prestigiados e universidades e instituições de referência. Estas obras tornam-se depois recursos de informação e sensibilização ambiental que estão disponíveis para consulta na Casa Municipal do Ambiente e em Bibliotecas Municipais, Bibliotecas Escolares do concelho, etc. As edições vídeos estão também disponíveis no canal Youtube da CMA (algumas das ligações abaixo).

Almada, banhada por um mar de histórias | 2014 | 46 min.
Realização: Pedro de Carvalho | Narração: Eduardo Rêgo
Youtube: www.youtube.com/watch?v=iF-95hQwayM

Almada, entre o rio e o mar | 2014 | 48 min.
Realização: Luís Quinta e Ricardo Guerreiro | Narração: Eduardo Rêgo

Youtube: www.youtube.com/watch?v=GCQnBwxATR0&t=137s

Litoral de Almada, Aquário virtual | 2020 | 15 min.
Realização: Ricardo Rezende | Narração: Eduardo Rêgo
Youtube: www.youtube.com/watch?v=LY0GTWV_hGg&t=71s

 

 BRAGANÇA 

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS EM ESPAÇOS VERDES

O Manual de Boas Práticas em Espaços Verdes tem por objetivo apoiar os cidadãos na construção de espaços verdes sustentáveis de qualidade, adequados ao clima e com redução no consumo de água, assim como disponibilizar informação de apoio na construção e manutenção dos espaços verdes sob responsabilidade do Município.

Mais informações em: 

www.cm-braganca.pt/servicos-e-informacoes/ambiente-e-sustentabilidade/espacos-verdes

Imagem_22.png
 

 VILA NOVA DE GAIA 

REGENERAÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO

 

Esta iniciativa visa a Regeneração do Centro Histórico, que para além da reabilitação do edificado, das infraestruturas, dos equipamentos e dos espaços verdes e urbanos de utilização coletiva, tem por objetivo a consolidação da identidade desta área. Este processo contribuirá para: A otimização dos recursos existentes, tanto a nível dos valores naturais como das infraestruturas, dos equipamentos e do edificado, potenciando o investimento instalado.

Mais informações em: www.gaiurb.pt/pages/779

PLANO MUNICIPAL DE ARBORIZAÇÃO

Trata-se de um plano ambiental de arborização em espaços públicos e zonas de lazer do concelho, que inclui entre outros a requalificação de diversos jardins, o Jardim Soares dos Reis e Parque de S. Caetano, a construção do Parque Ambiental e de Lazer de São Paio a ampliação do Parque da Lavandeira, são alguns dos exemplos da intervenção que pretende entre outros objetivos o incremento da biodiversidade em espaços urbanos. A implementação deste projeto trará benefícios diretos para toda a população e contribuirá para a mitigação das alterações climáticas.

Mais informações em: www.cm-gaia.pt/pt/noticias/plano-municipal-de-arborizacao-prossegue

 GUIMARÃES 

 
Imagem_38.jpg

PLANO DE URBANIZAÇÃO AVENIDA DA REPÚBLICA

O Plano de Urbanização da Avenida da República, como um projeto integrador de todos os princípios que contribuem para coesão social e territorial, tem por objetivo criar condições para garantir a adaptação às alterações climáticas, promover a mobilidade integrada e a valorização ambiental e paisagística, através da criação e interligação de corredores verdes, contribuindo para a fruição do espaço público por parte da população.

Mais informações em: www.gaiurb.pt/pages/932?news_id=238

Imagem_39.jpg

INCUBADORA DE BASE RURAL

A Incubadora de Base Rural de Guimarães é um serviço de apoio ao nascimento e crescimento de empresas especialmente dedicado a iniciativas de base rural, como sejam a agricultura, a agroindústria, a silvicultura ou outros serviços e tecnologias de suporte. Um dos objetivos do projeto passa por capitalizar todo o potencial agrícola e florestal do concelho e, simultaneamente, promover o crescimento económico, o desenvolvimento empresarial, a inclusão social, a sustentabilidade ambiental e o bom uso do solo.
Tem como público-alvo todos os empreendedores que tenham uma ideia ou plano de negócio numa atividade económica de base rural, sobretudo a jovens agricultores e empreendedores, residentes do concelho, desempregados e agricultores que se dediquem ao modo de produção biológico.

Mais informações em: www.cm-guimaraes.pt/municipio/camara-municipal/servicos/ambiente/incubadora-base-rural-guimaraes

Imagem_7.jpg
Imagem_8.png

ROTAS DA BIODIVERSIDADE

As rotas da Biodiversidade de Guimarães incluem a Rota da Biodiversidade do Monte Latito e a Rota da Biodiversidade da Penha. Existem, ainda, outros percursos pedonais com interesse cultural e patrimonial como são a Rota da Citânia (PR2) e a Rota de São Torcato (PR1).
Esta iniciativa tem por objetivo incentivar a participação e ao envolvimento dos cidadãos para a conservação da Natureza, onde através de uma app gratuita para telemóvel – o Biodiversity GO!, criado pelo Laboratório da Paisagem de Guimarães, os cidadãos contribuem para a inventariação da biodiversidade do concelho, através da submissão dos seus registos fotográficos.

Mais informções em: 

www.penhaguimaraes.com
www.cm-guimaraes.pt/rota-da-biodiversidade-do-monte-latito-69
www.labpaisagem.pt/biodiversity-go

Screenshot 2021-06-29 at 17.40.20.png
Screenshot 2021-06-29 at 17.40.26.png

GUIMARÃES MAIS FLORESTA

O programa “Guimarães Mais Floresta” tem por objetivo consciencializar para a temática da floresta autóctone e a importância da sua preservação, incluindo um enfoque em áreas temáticas como a natureza, a biodiversidade, os espaços verdes, a qualidade do ar, o ruído, as alterações climáticas, a paisagem e as técnicas agroflorestais, bem como áreas dos direitos cívicos de proteção e de criação de um meio natural mais diversificado, são e harmonioso.
Grande parte das (re)florestações realizam-se com o apoio das Brigadas Verdes do território, que são um movimento voluntário informal, que agrega homens mulheres de todas as faixas etárias, em ações várias no território pelo ambiente.

Mais informações em: www.labpaisagem.pt/guimaraes-mais-floresta

Screenshot 2021-06-29 at 17.40.32.png
Screenshot 2021-06-29 at 17.57.08.png
 

 ESTARREJA 

BIORIA

Descrição: Fisicamente, surgiu em 2005, este projecto pioneiro de conservação da natureza e biodiversidade da Câmara Municipal de Estarreja com a implementação do Percurso de Salreu dotado de painéis informativos e estruturas de apoio que permitem ao visitantes usufruir do local de uma forma cómoda, prática e divertida.
Através da requalificação de zonas ambientalmente degradadas, permitiu a criação de uma Rede de oito Percursos Pedestres e Cicláveis em contacto directo com a Natureza, num total de cerca de 50Km. 
Em conjunto constituem um mosaico de habitats diversificados que lhe conferem uma elevada beleza paisagística, oferecendo diariamente aos visitantes um excelente retiro à vida stressante do quotidiano. 

Objetivos: O objetivo de reavivar a identidade perdida no tempo, valorizando o ecossistema natural local e cumprindo um dos principais desígnios do Município: “Virar o Concelho para a Ria”. Conhecer para aprender a valorizar e conservar.

​Público-alvo: População em geral

Mais informações em: www.bioria.com

FÁBRICA DA HISTÓRIA DE ESTARREJA

Descrição: A requalificação de parte do edificado que serviu como fábrica de descasque de arroz, junto à estação de caminhos de ferro faz parte da regeneração urbana de partes antigas da cidade. Num processo de reencontro da cidade com a Ria e com os territórios rurais que, por excelência, ali se distendem até ao Baixo Vouga Lagunar. O projecto assenta na criação de um circuito museológico não convencional, com recurso a novas tecnologias, que permitirá aos visitantes “imergir num universo que os transporta quer para a cultura do arroz, no Baixo Vouga Lagunar, quer para a própria fábrica, prevendo-se igualmente a criação de um estabelecimento de restauração e uma zona multifuncional". 

Objetivos: O objetivo é constituir uma medida operativa de qualificação urbanística e ambiental das “áreas industriais abandonadas”, e contribuir, desta forma, para a melhoria do ambiente urbano da sua envolvente. É também objetivo a promoção de eventos “âncora” do produto, potencialmente estimuladores da atração de pessoas e investidores que induzirão estimulando a criação de riqueza no território.

​Público-alvo: População em geral

Mais informações em: https://www.cm-estarreja.pt/fabricadahistoria

image10-35.png

SENTIR ESTARREJA

Descrição: A app “Sentir Estarrreja” disponibiliza nesta fase dois roteiros temáticos, um dedicado ao BioRia e outro ao circuito de arte urbana ESTAU, e permite explorar o território de forma simples, interativa e intuitiva, com acesso a imagem e texto, em diferentes línguas. As próximas fases de desenvolvimento passam por acesso a conteúdos de vídeo e traçar novos caminhos, em formato de realidade aumentada e recurso a áudio-guia.
Para além da interatividade que proporciona ao utilizador, esta plataforma é uma nova oportunidade para que os decisores possam ficar a “conhecer melhor o seu território”.  É o lado da inteligência urbana a funcionar e que será o futuro desta ferramenta.

Objetivos: A app tem como objetivo proporcionar a interação com o património e o território, com recurso às novas tecnologias, tendo presente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das nações Unidas. 

​Público-alvo: População em geral

Mais informações em: https://www.cm-estarreja.pt/App_Sentir_Estarreja

image9-33.png
 

 OLIVEIRA DO BAIRRO 

PARQUE DA CIDADE DE OLIVEIRA DO BAIRRO

Descrição: No Parque dos Pinheiros Mansos, com a plantação de árvores autóctones, procura-se aumentar a área de sombra e promover a melhoria da capacidade adaptativa e diminuição da vulnerabilidade dos impactes das alterações climáticas, quer ao nível da ocorrência de períodos de seca e ondas de calor, quer em caso de ocorrência de fenómenos extremos. Os trilhos existentes permitem apreciar a natureza com segurança e comodidade e convidam à prática desportiva. Este projeto conta, ainda, com a instalação de luminárias solares que permitem uma iluminação mais ecológia dos percursos pedestres existentes no parque.

Objetivos: Este local, pulmão da cidade, permite o aproveitamento das potencialidades paisagísticas, ecológicas, sociais e florestais, de modo a contribuir para o desenvolvimento sustentável do Concelho, com melhor qualidade da vida para os munícipes e sendo mais um atrativo para quem o visita, reforçando a promoção de práticas saudáveis ao ar livre e o envolvimento da nossa comunidade.

MOVE IN OLB

Descrição: Aplicação para dispositivos móveis com informação acerca de percursos, espaços de workout e pontos de interesse no Concelho de Oliveira do Bairro.

play.google.com/store/apps/details?id=pt.sinervices.olb.movein

SANITÁRIOS VERDES

Descrição: Este projeto prevê a construção casas de banho para eventos socioculturais que utilizem soluções construtivas em fim de vida combinada com soluções de revestimento sustentáveis e inovadoras, bem como a implementação de infraestruturas verdes.

Objetivos: Os WC garden visam diminuir a pegada ecológica causada pelos sanitários utilizados e, consequentemente, diminuir a pegada ecológica dos eventos a realizar pelo Munícipio. Procura-se, também, a sustentabilidade ambiental e a adaptação às alterações climáticas, contrariando o efeito de ilha de calor urbano e promovendo a captação de CO2 através das fachadas e coberturas verdes.

MULCHING NOS ESPAÇOS VERDES

Descrição: O Município de Oliveira do Bairro durante a manutenção dos jardins e espaços verdes aplica a técnica de mulching que consiste na utilização de resíduos naturais dos espaços verdes como fonte de nutrientes para o seu solo. O corte tipo mulch pica finamente estas aparas de relva e espalha-as sobre a mesma, combinando três passos fundamentais para o cuidado do relvado: corte, eliminação de aparas e fertilização do solo.  Assim, é possível a eliminação de resíduos resultantes da manutenção destes locais de forma mais sustentável.

Objetivos: O mulching permite a retenção da humidade, regulação da temperatura, libertação gradual de nutrientes no solo e a proteção o solo da erosão hídrica e eólica.

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS PARA A REGA DE ESPAÇOS VERDES E DESPORTIVOS

Descrição: Os espaços verdes, jardins e o Estádio Municipal de Oliveira do Bairro são regados com recurso ao aproveitamento da água das chuvas. Esta água é armazenada nas lagoas existentes no Parque dos Pinheiros Mansos e, através de sistemas de canalização adequados, é encaminhada para vários jardins existentes na cidade. No que respeita ao Estádio Municipal é, ainda, realizada a recirculação da água de utilizada na rega do mesmo, pois grande parte da água que não é aprovietada na rega é rencaminhada para os reservatórios.

Objetivos: Esta medida permite uma rega mais sustentável dos espaços verdes da cidade, contribuindo para a redução do consumo de água. 

INFORMAÇÃO ATUALIZADA EM 15 DE DEZEMBRO DE 2021